Publicidade

Publicidade

Anuncie aqui!

Newsletter

Inscreva-se para receber a nossa Newsletter e se manter atualizado.

Compartilhe

Compartilhe

Compartilhe

Compartilhe

Buscar

Belo custo-benefício

  • Compartilhar
A oferta é sedutora. Ter uma picape média estilosa e com câmbio automático por R$ 79.790, é sim uma boa opção. E a relação custo-benefício, talvez seja a maior qualidade da Renault Duster Oroch Dynamique. A versão top de linha do modelo, agora traz câmbio automático de quatro marchas e direção com assistência elétrica como novos principais atrativos.
A Oroch vem com motor 2.0, de 143 cv (gasolina) e de 148 cv (etanol), exclusivo da versão Dynamique. Na pista, o comportamento de carro de passeio da picape é outro trunfo do modelo. A suspensão traseira independente e o chassi em monobloco contribuem para roubustez da Oroch. A direção ficou mais leve para manobras e deixou a condução da picape ainda mais agradável.
A transmissão automática herdada do irmão Duster agrega conforto à picape, mas sim, peca por ser apenas de quatro marchas. É algo já ultrapassado e em extinção no mercado e deixa o modelo mais fraco em termos em desempenho com relação as opções mais baratas da picape equipadas com câmbio manual de seis velocidades. 
Apesar de tudo, o câmbio mantém o motor numa toada segura e razoável. Digo, sem lerdeza. O que pode incomodar talvez seja aquela indecisão do carro em saber sozinho qual marcha usar, fazendo o motor perder rotação em situações críticas como subidas ingrímes. A função ECO do modelo que reduz o consumo de combustível, é útil, mas em cidades como BH é preciso tomar cuidado. Ela desabilita o auxílio de partida em rampa sem que o motorista seja previamente avisado.
O espaço interno é uma das virtudes da Oroch que merece ser destacada. Cinco adultos viajam sem aperto na picape da Renault. O acabamento praticamente idêntico ao SUV Duster é honesto até demais para um carro que sai por quase R$ 80 mil. A trava dos vidros traseiros no console e é um ponto negativo para ergonomia do modelo. Em compensação, os ajustes dos retrovisores elétricos, antes debaixo do freio de mão, foram para o lugar certo, perto do comando dos vidros elétricos na porta.
O grande chamariz da Oroch é, sem dúvida, seu custo-benefício. Ela pode ser o modelo ideal para quem precisa de uma picape maior do que modelos como Fiat Strada e Saveiro, e que tem preço competitivo e um item indispensável para muitos consumidores hoje: câmbio automático. A caçamba com capacidade para 683 litros completa a versatilidade do modelo.
Em termos de equipamentos, a Oroch top de linha é bem completa. A lista de itens de série inclui ar-condicionado convencional, central multimídia com GPS, faróis de neblina, rodas de liga aro 16, cruise control, volante revestido em couro, entrada USB e Bluetooth, além de comandos no volante e opção de troca de marchas manuais na alavanca, por exemplo. Há sensores de estacionamento traseiro, mas faz falta uma câmera de ré para um veículo com 4,70 m de comprimento e visibilidade traseira limitada.
Bola fora mesmo fica por conta da carência de itens de segurança, que não são oferecidos nem sequer como opcionais como: isofix para cadeirinhas, airbags laterais e de cortina, além de controle eletrônico de estabilidade e tração. De forma avulsa, a Duster Oroch top de linha traz por R$ 3.490 extras o pacote Outsider composto basicamente por adereços estéticos. Fotos divulgação jc

Comentários

Comentário cadastrado com sucesso. Aguardando aprovação.

Nenhum comentários cadastrado.

Publicidade

Compartilhe